Compreenda melhor a recente mudança no clero da Diocese de Itaguaí.
26/04/2018 - 10h50 em Diocese

Por Lenine Marques

Ontem, 25/04, foi anunciada a transferência do Padre Luiz Antônio Dornelles Soares, o então Pároco de N. Sra. Das Graças em Muriqui assumirá a paróquia Nossa Senhora do Rosário, no Camorim em Angra dos Reis (Nota: Anteriormente eu afirmei que o Pe. Bruno continuaria com o Pe. Luiz na Paróquia. Essa afirmação ainda não foi concretizada. Estamos buscando informações com o Bispo Diocesano). Os Padres José Eduardo e Ronaldo Joaquim continuarão na Catedral e juntos administrarão Muriqui.

Nas redes sociais existe um misto de alegria dos que recebem o novo pároco, tristeza e até a indignação de quem deixa de ter presente o Padre Luiz. Porém, é necessário que possamos compreender a dimensão missionária de um Padre.

Em outras palavras, o Espírito de mobilidade faz parte da vida de um padre e se olharmos para Jesus em sua missão é assim que ele nos ensina. Sempre que um discípulo deseja permanecer, ele lembra que é necessário ir em frente.

A mudança, às vezes pode parecer dolorosa e de fato é, mas traz um amadurecimento tanto para o Padre que foi transferido quanto para a comunidade que receberá novos administradores, como é o caso da Paróquia de Muriqui.

Sobretudo, a igreja conhece as necessidades das paróquias e sabe da capacidade que cada presbítero tem e pode contribuir com cada uma delas. O Bispo junto com o clero não transfere porque tem prazer em fazer isso, porque simplesmente “faz parte” ou ainda para exercitar sua capacidade de reorganizar a diocese, mas pelas necessidades que o clero observa em toda a diocese. 

Enfim, também temos que ter um coração solidário que partilha e ama. Se esse Padre foi tão bom pra gente, também será para a outra comunidade que certamente necessita da presença desse presbítero.

COMENTÁRIOS