Não há humildade sem humilhação, diz Papa Francisco na Casa Santa Marta
29/01/2018 - 12h14 em Papa

VATICANO, 29 Jan. 18 / 10:00 am (ACI).- Em sua homilia durante a Missacelebrada na manhã de hoje na Casa Santa Marta, o Papa Francisco destacou o valor da humildade e afirmou que “não existe uma verdadeira humildade sem humilhação”.

A partir da Primeira Leitura, que conta a história de Davi, o Santo Padre mencionou o Rei de Israel como um exemplo de humildade.

Francisco afirmou que Davi é um dos grandes personagens bíblicos: derrotou os filisteus, tinha uma alma nobre e, apesar disso, também era um grande pecador: “Havia cometido adultério e o assassinato de Urias, marido de Betsabá”. Mesmo assim, a Igreja o venera como santo “porque deixou-se transformar pelo Senhor, deixou-se perdoar.  Foi capaz de reconhecer-se pecador, capacidade não tão fácil”.

Em concreto, a Primeira Leitura fala sobre a humilhação de Davi quando o seu filho Absalão faz uma revolução contra ele. Naquele momento Davi não pensa “na própria pele”, mas em salvar o povo, o Templo, a Arca. E foge: “Um gesto que parece covarde, mas é corajoso”.

O grande Davi é humilhado, não somente com a derrota e a fuga, mas também com o insulto. Porque durante a sua fuga, um homem o insultou dizendo que o Senhor fez cair sobre ele todo o sangue da casa de Saul. David argumenta: “É o Senhor que inspira de insultar-me. Talvez este insulto comoverá o coração do Senhor e me abençoará”.

Na sua reflexão sobre esse acontecimento evangélico, o Papa assinalou: “Às vezes, nós pensamos que a humildade é ir tranquilos, ir talvez de cabeça baixa olhando para o chão. Mas também os porcos caminham de cabeça baixa: isso não é humildade. Esta é aquela humildade falsa, ‘prêt-à-porter’, que não salva nem protege o coração”.

“É bom que nós pensemos nisto: não existe verdadeira humildade sem humilhação, e se você não for capaz de tolerar, de carregar nas costas uma humilhação, você não é humilde: faz de conta, mas não é”.

Francisco convidou a imitar Davi, que carregou nas costas os próprios pecados. “Sempre existe a tentação de lutar contra quem nos calunia, contra quem nos humilha, quem nos faz passar vergonha”. Mas, “este não é o caminho. O caminho é o de Jesus, profetizado por Davi: carregar as humilhações”.

O Papa concluiu a homilia encorajando a pedir a Deus “a graça da humildade, mas com a humilhação”. “E também, se alguém for corajoso, pode pedir ao Senhor que lhe envie humilhações para se parecer sempre mais com o Senhor".

Leitura comentada pelo Papa Francisco (2Sm 15,13-14.30;16,5-13ª)

Naqueles dias, 13um mensageiro veio dizer a Davi: “As simpatias de todo o Israel estão com Absalão”. 14Davi disse aos servos que estavam com ele em Jerusalém: “Depressa, fujamos, porque, de outro modo, não podemos escapar de Absalão! Apressai-vos em partir, para que não aconteça que ele, chegando, nos apanhe, traga sobre nós a ruína, e passe a cidade ao fio da espada”. 30Davi caminhava chorando, enquanto subia o monte das Oliveiras, com a cabeça coberta e os pés descalços. E todo o povo que o acompanhava subia também chorando, com a cabeça coberta.

16,5Quando o rei chegou a Baurim, saiu de lá um homem da parentela de Saul, chamado Semei, filho de Gera, que ia proferindo maldições enquanto andava. 6Atirava pedras contra Davi e contra todos os servos do rei, embora toda a tropa e todos os homens de elite seguissem agrupados à direita e à esquerda do rei Davi. 7Semei amaldiçoava-o, dizendo: “Vai-te embora! Vai-te embora, homem sanguinário e criminoso! 8O Senhor fez cair sobre ti todo o sangue da casa de Saul, cujo trono usurpaste, e entregou o trono a teu filho Absalão. Tu estás entregue à tua própria maldade, porque és um homem sanguinário”.

9Então Abisai, filho de Sarvia, disse ao rei: “Por que há de este cão morto continuar amaldiçoando o senhor, meu rei? Deixa-me passar para lhe cortar a cabeça”. 10Mas o rei respondeu: “Não te intrometas, filho de Sarvia! Se ele amaldiçoa e se o Senhor o mandou maldizer a Davi, quem poderia dizer-lhe: ‘Por que fazes isto?’”. 11E Davi disse a Abisai e a todos os seus servos: “Vede: Se meu filho, que saiu das minhas entranhas, atenta contra a minha vida, com mais razão esse filho de Benjamim. Deixai-o amaldiçoar, conforme a permissão do Senhor. 12Talvez o Senhor leve em conta a minha miséria, restituindo-me a ventura em lugar da maldição de hoje”. 13aE Davi e seus homens seguiram adiante.

 

Foto: Vatican Media

COMENTÁRIOS