Pe. João Paulo: “Quais são os monstros que precisam ser expulsos da nossa vida?”. Veja como foi o 8° dia da Novena de São Francisco Xavier.
02/12/2017 - 11h01 em Novenários

Reportagem Paola Hystellen

1° de Dezembro  foi o penúltimo dia de novenário de São Francisco Xavier, e a Santa Missa foi presidida pelo Pe. João Paulo, vigário paroquial da Catedral de Nova Iguaçu. O padre iniciou a palavra nos lembrando de sermos solícitos ao chamado de Deus, sempre ajudando e atendendo a comunidade. Após isso, recordou-nos de que estamos na ultima semana do ano litúrgico, e nos acalmou, lembrando-nos que quando um ciclo se encerra, outro se inicia, e que na próxima semana, estaremos vivendo um novo tempo, o tempo do advento, portanto devemos ter esperança.

Nesta homilia de hoje, o vigário da catedral de Nova Iguaçu, fez uma bela reflexão acerca da esperança. A liturgia, apesar de complexa, nos traz uma visão do que é a esperança, e do quanto ela é necessária. Na primeira leitura, Davi, descreve algumas visões de monstros que ele teve durante os seus sonhos, essas visões, em um primeiro momento parecem muito confusas, e até nos trazem medo, pois tem um sentido apocalíptico. Porém não devemos nos apavorar, devemos ter esperança e aprender a discernir os sinais de Deus em nossa vida, recordando-nos que o bem sempre triunfa contra o mal. Estas leituras vêm nos lembrar disso, de que Deus sempre triunfará no final, então devemos acreditar e esperar no Senhor.   

“Toda a literatura apocalíptica tem essa missão de animar às pessoas, de animar à comunidade, de trazer uma esperança nova a comunidade. Afinal de contas, sempre, a mensagem final destas literaturas, são pra dizer que: o mal nunca vence, o bem sempre vence, Deus sempre é o mais forte, Deus sempre vence em nossa vida e sempre vencerá em nossa vida.”

 

Além disso, esta liturgia também nos convida a parar e refletir sobre nossa vida: como anda o nosso relacionamento com Deus? O que precisamos mudar? Necessitamos fazer um balanço e planejar.  Assim como fazemos no ano novo, porém, nos voltando para nossa vida espiritual.

“Todo final de ano é um momento oportuno para fazermos uma revisão da nossa caminhada, da nossa vida: Como andamos? Como trilhamos? Como fomos discernindo no meio da caminhada, no meio das dificuldades, como a gente foi discernindo a presença de Deus em nossa vida? Como a gente vai percebendo os sinais de Deus que estão presentes em nossa vida?”

Precisamos prestar atenção no que tem atrapalhado nossa vida com Deus, e mudar, melhorar, para que assim, possamos evoluir e seguir nossa caminhada, fortes e confiantes em Deus.

“Quais são os monstros que precisam ser expulsos da nossa vida?”

O padre falou ainda, da necessidade de nos abrirmos para Deus. Pois, só abrindo o nosso coração, é que poderemos expulsar os “monstros” da nossa vida, e da vida dos outros, só nos deixando moldar por Deus é que poderemos ajudar ao próximo. E para isso acontecer precisamos renovar a nossa esperança em Deus e ouvir sua palavra, assim nos tornaremos pessoas melhores e mais conscientes e abertas à ação de Deus. Um Deus que deve se revelar em vários aspectos da nossa vida, assim como se revelou na vida de são Francisco Xavier. Precisamos sempre estar conscientes da sua presença, discernindo suas ações e renovando nossa esperança.

“Que possamos ficar fascinados pelas palavras que saem da boca do nosso Deus, que a palavra de deus possa nos fascinar de tal maneira, que deixemos que toda a nossa vida, toda a nossa existência seja totalmente moldada, conduzida pela palavra do nosso Deus, que deixemos nosso coração hoje, totalmente livre para acolher a ação de Deus através da sua palavra.”

O padre finalizou pedindo mais esperança e mais fé na palavra. Pediu também pela violência que assola nosso país e o mundo. E para que confiemos mais em Jesus, pois ele é a nossa esperança, e sua palavra é o que alimenta essa esperança, e inspira o mundo, trazendo a boa nova para que possamos enfrentar os “monstros” do dia-a-dia e discernir o que vem de Deus. Que nós renovemos nossa esperança e o nosso ânimo, assim poderemos ir ao encontro dos que necessitam de Jesus.

 

 

COMENTÁRIOS