Educadores são homenageados no 6º dia do Novenário de São Francisco Xavier.
30/11/2017 10:04 em Novenários

Reportagem de Paola Hystellen e Viviane Pinheiro

Hoje a Santa Missa foi celebrada pelo Pe. José Antônio da diocese de Volta Redonda/Barra do Piraí. A banda Espírito Divino ficou responsável pela música, já animação e organização ficou por conta da Pastoral da Educação, que também foi homenageada no dia de hoje. Ao final da homilia, o Padre deixou uma mensagem para os mesmos, para que sigam firmes em sua missão de educar.

O Padre iniciou chamando atenção ao fato de estarmos na ultima semana do ano litúrgico, onde desde a trigésima segunda semana do tempo comum, é possível notar uma mudança na palavra de deus em cada celebração Eucarística.  

A realidade escatológica, que é a consolação de todas as coisas no final dos tempos com a segunda vinda de Jesus Cristo, tem se tornado cada vez mais presente nesses últimos dias da liturgia.

“Cada eucaristia desde a trigésima segunda semana, tem nos falado de maneira mais intensa da realidade do céu.”

Jesus tem um coração amoroso e tem nos mostrado isso durante as ultimas celebrações, onde nos faz refletir através da liturgia, sobre o céu.

“Viver no céu é o mesmo que repousar no coração amoroso e misericordioso de Deus... A liturgia da igreja é a melhor catequese que todo e qualquer cristão pode experimentar no seu crescimento humano e espiritual.”

Hoje, novamente, a liturgia veio de encontro com essa realidade, na mesma, Davi denuncia a idolatria do rei de Israel, que cultuava e idolatrava outros deuses e nem sequer tinha respeito pelas coisas de Deus, abusando do poder e vivendo uma vida sem preocupações, sem sacrifícios e sem sensibilidade. Mostrando-nos uma desumanização que provém da idolatria.

O Padre mencionou ainda, o quanto esta idolatria também pode ser vista nos tempos atuais, pois estamos sempre a colocar algo na frente de Deus, e idolatrando coisas mundanas, como: o dinheiro, o poder, a política, as pessoas e muitas outras coisas. O celebrante nos fez refletir sobre como todas estas idolatrias levam-nos a um processo de desumanização, a um afastamento de Deus, que deve ser o centro da nossa vida, e isso consequentemente acaba nos roubando o céu.

“Toda, e qualquer idolatria, que nos faz então, não mais, assumirmos a consciência de que Deus precisa ser o centro nosso agir, o centro na nossa existência, o centro da nossa história, sempre nos leva a um processo de desumanização, sempre nos leva a nos afastarmos do céu. Por isso, nós poderemos dizer, que na verdade, a gente só constrói a nossa história, só constrói existência, para alcançarmos o céu como um dom da caridade, e do amor de deus, quando nós abandonamos as idolatrias do mundo.”

Por isso é necessário remar contra a corrente e abandonar as idolatrias do mundo para que possamos alcançar o céu. Jesus nos mostra isso através do evangelho de hoje, ele deixa claro que para sermos seus discípulos, devemos passar por muitas provações. Quem quer entrar no reino de Deus, passará por muitas dores, e será rejeitado muitas vezes, até mesmo por seus amigos e familiares.

Deste modo, Jesus faz com que nos questionemos sobre como estamos vivendo nossa fé hoje. Caso as coisas estejam muito fáceis e tranquilas, então é bom nos prepararmos, pois dificuldades virão em breve. Quem vive sua fé de maneira autêntica, terá que remar contra a maré, será perseguido e contrariado. Pois, seguir Jesus, é humanamente, uma realidade pesada. Mas, apesar das dificuldades no caminho, devemos ser coerentes com o evangelho de Cristo, permanecendo firmes, seguindo e servindo ao nosso Senhor. Não devemos nos preocupar em momento algum, pois Deus está conosco, e ele é o caminho que nos salva e dá sentido a nossa vida. Afinal, somos criados por Deus, para o céu.

“Nós não estamos neste mundo, para este mundo, nós estamos aqui criados por Deus, para a realidade do céu.”

O padre finalizou sua homilia com uma bela mensagem para os educadores, onde ressaltou os obstáculos e a importância de seu trabalho. Ele os comparou a São Francisco Xavier, exemplo de educador, que viveu e morreu, seguindo e servindo a Jesus, levando sua palavra para o mundo, mesmo em meio às dificuldades.

“É um trabalho demasiadamente nobre aquele que vocês realizam, dentro de uma sociedade secular, relativista, que não compreende nem o sentido profundo daquilo que é o estado laico, torna-se cada vez mais difícil, dar exemplo da fé e formar moralmente as futuras gerações. Que São Francisco Xavier interceda por cada um de vocês, que as palavras de Jesus no evangelho de hoje, os encorajem, para que vocês possam cada vez mais remar contra a maré, a nossa força não está numa sociedade perversa e promiscua que cada vez mais procura eximir a presença de Deus do seu meio, mas o nosso auxílio e a nossa força está na presença, no amor e na misericórdia do Senhor Jesus. E é justamente esta certeza, este amor e esta misericórdia que quero desejar para cada um de vocês, para que exerçam o magistério, a vocação de ensinar, como verdadeiro pastoreio, o papel dos educadores desses tempos modernos é cada vez mais fundamental.”

 

 

 

 

COMENTÁRIOS