Pe. Luiz Antônio com muita alegria presidiu o 5º dia do Novenário de São Francisco Xavier. Ouça e leia como foi!
29/11/2017 - 14h29 em Novenários

Reportagem: Thaissa Calixto

No quinto dia do novenário de São Francisco Xavier, a missa foi animada pelo ministério de música da Renovação Carismática Católica da Catedral e Foi presidida pelo Pe. Luiz Antônio da Paróquia N. Sra. Das Graças de Muriqui-RJ. O padre começou a sua reflexão buscando inspiração na música "Eu confio em nosso senhor com fé, esperança e amor..."

Segundo Pe. Luiz, podemos resumir a vida de São Francisco Xavier na letra dessa música, pois ele confiava em Deus com a fé que ele tinha, com a esperança e com o mais importante: "O amor! Ele sabia amar o próximo" dizia o padre. Ele lembrou que a vida do cristão deve ser uma vida de fé e que nós somos batizados com a graça do Senhor e só acontecerá grandes coisas em nossas vidas se nos seguimos a Jesus.

Disse que não somos obrigados a nada nesse mundo, que um católico verdadeiro é aquele que vesti a camisa da igreja, um católico verdadeiro é  aquele que evangelizar em nome do nosso senhor, e aquele que traz mais almas para o reino de Deus. Continuou dizendo: "A missa não é uma obrigação, a missa é uma resposta de amor do nosso Senhor, porque todas as vezes que o cristão se reuni o Padre diz: " O Senhor esteja convosco e respondemos Ele está no meio de nós". E ter a certeza que Deus realmente está no meio de nós.

Disse também que amar a Deus e aquele que ama seu irmão, e como São Francisco foi um homem que nunca deixou de amar seus irmãos e por esse amor fez ele largar tudo, renunciou a si e seguiu a Cristo, seguiu dizendo que ninguém é obrigado a dizer que é católico, mas se nós decidimos carregar a cruz que é o sinal do amor o divino nos temos que ter coerência."

Quase no fim da homilia ele contou a história de uma senhora que tinha mais ou menos 104 anos de idade e foi pagar uma promessa em Muriqui, afirmou que nos temos que se preocupar com os idosos que é a feliz idade e com os jovens que é o futuro da nossa humanidade, e terminou com a música que diz: " Viver é não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar e canta a beleza de ser um eterno aprendiz... Mais isso não me entenda que eu repita e bonita e bonita e bonita" e assim como São Francisco Xavier que nos sejamos eternos aprendizes.

 

Ouça a Homilia na Íntegra

 

COMENTÁRIOS